Azoospermia: o que é e quais os tratamentos possíveis?

 

A Azoospermia é uma doença silenciosa: trata-se da ausência de espermatozoides no sêmen, usualmente só notada quando um casal tenta engravidar.  Afeta, em média, 1 a 2% dos brasileiros.

Como funciona?

Podem haver dois tipos: obstrutiva e não obstrutiva.

Obstrutiva:

Como o próprio nome diz, há uma obstrução no trato reprodutivo, que impede a ejaculação. O esperma é produzido, mas a ejaculação não acontece. 

Não obstrutiva:

É a baixa produção do folículo estimulante necessário para a produção usual de espermatozoides nos testículos. Essa baixa produção pode se dar por genética, algum tipo de infecção, ou ainda, por cirurgias e traumas (vasectomia, câncer, quimioterapia etc).

Sintomas

Daí vem o silêncio da doença: a Azoospermia não apresenta sintomas. Como dito anteriormente, é comum que o problema seja cogitado quando o casal tenta engravidar.

Entretanto, pode causar infertilidade (que, importante ressaltar, é diferente de impotência).

O diagnóstico da Azoospermia é feito por meio de um exame de espermograma, que quantifica os espermatozoides no sêmen ejaculado.

Tratamento

O tratamento da Azoospermia varia com o grau de complexidade.

Para casos mais complexos, é possível tratamento com micro-TESE (uma cirurgia simples, realizada com uma micro agulha). Para outros casos, os espermatozoides podem ser artificialmente recolhidos nos testículos ou no epidímio, e depois utilizados para uma FIV (Fertilização In Vitro).

Outras alternativas de tratamento

Apesar de silenciosa, a Azoospermia é uma doença séria, que requer acompanhamento médico especializado.

Outras alternativas incluem ainda (novamente, variando conforme a complexidade da doença) o tratamento com medicamentos para regularização dos hormônios, ou então, uma reformulação natural: reeducação alimentar, prática de exercícios e emagrecimento, no caso de homens considerados obesos.

 

Comments are closed.